Como eu estava comentando sobre artefatos em microserviços, eu acredito que esqueci de discutir um ponto importante: Como é que esses artefatos são "expelidos" do microserviço?

"Expelido", nesse caso, significa "passa para o próximo estágio necessário", que pode ser um bocado de coisas (algumas vezes, até mais de uma). E como eu precisava de um palavra capciosa para chamar a atenção, já que "produz" não tem nada de chamativo.

Por exemplo, se um microserviço produz um dado intermediário -- digamos que ele conecta num serviço externo e busca uma informação, que é então processada por outros microserviços -- então você vai possivelmente utilizar um serviço de message broker (mensageria) para expelir o artefato. Usando um message broker irá permitir que outros serviços fiquem escutando a criação desses artefatos e que façam seu serviço -- produzindo novos artefatos.

Outra possibilidade é que esse microserviço é o fim da linha de produção e, por isso, ele mantém o artefato consigo para ser consumido de uma forma não assíncrona. Por exemplo, o microserviço produz elementos que são pedidos depois uma requisição de um serviço web, e o que o microserviço precisa fazer é produzir o artefato e mantê-lo em si, respondendo requisições mais tarde.

De novo, isso é semelhante a forma com que CQRS (command-query response segregation -- segregação de comandos e queries) funciona: Você tem um lado do seu microserviço que recebe dados e processa o artefato, e outro que permite a consulta dos artefatos gerados.

Você pode até mesmo ter os dois: Quando o artefato é produzido, o microserviço expele o mesmo pelo message broker para ser processado por outros microserviços, e guarda o artefato localmente para ser pesquisado depois.

Existe até mesmo a possibilidade da parte de pesquisa/query ser apenas outros microserviço: Ele recebe o artefato de outro microserviço e o armazena, sem qualquer processamento (desde que você não considere "salva num armazenamento permanente" uma forma de processamento). Isso é interessante porque a parte de pesquisa/query do microserviço é apenas um outro microserviço ao invés de ser uma espécie de microserviço especializado que produz, expele e armazena artefatos.

Quando eu mencionando que nós salvamentos nossos artefatos no Firebase, nós estamos basicamente construindo esse microserviço separado: Enquanto nossos microserviços produzem artefatos, a parte de "armazenamento e pesquisa" fica a cargo do Firebase -- mas você pode considerar isso como qualquer outro microserviço.

(Esse post é simplesmente para ter alguns ponteiros a mais para quando eu for discutir um pouco mais sobre o que eu penso sobre microserviços com auto-cura -- e o que eu quero dizer com isso.)