Resumo GoodReads: O Príncipe é um livro que não sai de moda. Mais do que um best-seller, ele é um clássico. Surgem novas edições e grandes estadistas encontram nesta obra suas virtudes literárias e estratégicas. Silvio Berlusconi, presidente do Conselho de Ministros da República italiana, apresentava assim esta obra, ao dá-la como presente de Natal para amigos e colaboradores em 1992: "O Príncipe é o primeiro clássico do pensamento político moderno, referência durante gerações para estadistas e diplomatas. A obra foi concebida como um conjunto de reflexões do autor sobre a arte de conquistar e conservar o poder em um principado."

★★★☆☆

Esse é o livro que gerou a expressão "maquiavélico" (e seus derivados). Eu acredito que a parte inicial do mesmo, em que Maquiavel aponta que o livro é um presente para um novo príncipe, foi cortada dessa edição, mas posso estar enganado.

Um dos problemas dessa tradução -- mas que é explicado logo na introdução do livro -- é que, por ser baseado num texto em italiano antigo, o mesmo foi traduzido para um português mais rebuscado (praticamente um barroco). Algumas partes são excruciantes de ler.

Fora isso, O Príncipe fala muito de como manter o poder a qualquer custo. E é impossível não ler e não pensar em vários políticos nacionais brasileiros, que aparentemente seguem o livrinho a risca.